terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Aonde vamos parar?...

As coisas mudam constantemente. Cresci acreditando em valores que hoje não fazem o menor sentido pra muitos. Fui criado para estudar, trabalhar, namorar, noivar, ter minha própria residência, casar, ter filhos.
No mundo em que eu vivia, os americanos eram uma força inquestionável. A Europa era um lugar considerado um paraíso na terra, devido à sua história e belezas naturais, nascer europeu ocidental era garantia de boa qualidade de vida.
Ter formação universitária era garantia de emprego. Falava-se em crescer profissionalmente em uma empresa tradicional e de renome, como Banco Econômico, Soletur ou Mesbla.
Mulher que nascesse bonita não tinha que se preocupar em estudar ou trabalhar, pois a as portas estariam sempre abertas e essa mulher teria as melhores opções de escolha na vida. Bastava nascer branco e/ ou nascer em família rica para o futuro da pessoa ser de prosperidade.
Quem nascia em bairro nobre como Graça, Pituba ou Barra, já seria privilegiado com as melhores oportunidades que a vida poderia oferecer.
Sair em bloco de carnaval era símbolo de status. Ter carro próprio era para poucos felizardos.
A família era o núcleo de qualquer pessoa. Namoro era coisa séria.
Hoje tudo isso que mencionei nem é mais lembrado. E ainda me perguntam por que o mundo está tão envolvido em violência. As pessoas perderam completamente suas referências e não foram orientadas a seguirem seu próprio coração. Vejo as pessoas hoje em dia como ovelhas sem pastor, sem saber pra que lado vão e nem onde obter respostas para suas aflições. Se alguém já tiver certa idade e não consegue perceber as mudanças ocorridas nos últimos anos, não poderá orientar os outros sobre o que está acontecendo nem indicar a direção para onde ir.
Por estes motivos, tenho um a visão particular da realidade onde estou inserido. Tenho opinião formada sobre vários assuntos, pois sei de onde vem muitos conceitos e crenças, e sei em que direção estaremos indo se continuarmos nesse ritmo. De minha parte, toda as decisões que procuro tomas são conscientes. Reconheço que tenho limitações de compreender alguns fatos, mas procuro me superar a cada dia.
Li uma vez que a realidade não existe. Hoje concordo com isso. O que existe de fato são nossas crenças, sejam elas quais forem, e de acordo com elas é que moldamos nosso mundo particular e na realidade a nossa volta.
Relacionamentos, emprego, dinheiro, amizades, bens materiais. Tudo isso vem até nós de acordo com o que acreditamos ser real. Se formos capazes de convencer outras pessoas de algo, esse "algo" pode se tornar uma verdade inquestionável.
O que não encontrei ainda foram pessoas que tivessem uma visão mais imparcial sobre a realidade, que fossem capazes de renovar as próprias idéias a cada dia. Mas acredito que com alguma orientação, todos são capazes de pensar com a própria cabeça e seguir seu coração, de forma consciente.
Mudar a próprias idéias e renovar-se a cada dia é uma grande demonstração de humildade, só quem admite que não sabe tudo é capaz de avaliar novas idéias e decidir o que é melhor para si e para as pessoas a quem ama. De que adianta falar em mudar o mundo ou as pessoas se não somos capazes de aceitar o fato de que ainda temos muito o que aprender?

Nenhum comentário: