terça-feira, 21 de janeiro de 2014

A devastação alcoólica

As pessoas preocupam-se demais com as drogas, devido a destruição que ela causa, seja na saúde, na vida familiar, social e profissional. E estão certas. As drogas são uma droga para qualquer usuário. Mas acredito que tenha uma coisa muito pior que já acabou com as famílias, os amores e a sociedade como um todo: BEBIDAS ALCOÓLICAS. Elas sim tem sido a causa da degradação da vida das pessoas. Disfarçadas com o apelido singelo de cervejinha, tem causado enorme devastação na sociedade vigente. Alguns chamam informalmente de "água-dura" e quem bebe recebe o s apelidos mais esdrúxulos: manguaça, pau-d'água, cachaceiro, esponja, entre outros que não me ocorrem agora. Mas tudo serve para encobrir que nossa sociedade brasileira está tão dependente do álcool com a população russa é dependente da vodca. Difícil encontrar alguém que não beba álcool pelo menos uma vez na semana e em grande quantidade. Não se paquera mais e não se passeia mais sem que a maldita bebida alcoólica esteja presente. Antes para se conquistar o coração de um mulher palavras bonitas e flores eram um bom começo. Hoje em dia basta oferecer cerveja para começar a ser atraente aos olhos femininos. Evidentemente que nem todas as mulheres se vendem por um copo de cerveja, mas que desmoraliza a classe feminina, isso é incontestável. Se depender de bebida alcoólicas para ser popular e atraente, terminarei meus dias sozinho. Mas quem bebe demais também termina sozinho. Basta surgir o primeiro problema na vida de um alcoólatra (o nome é esse mesmo para quem bebe desregradamente), que os "amigos" de copo somem todos. Os próprios viciados em álcool concordam: pode faltar dinheiro par ao feijão mas não para a cachaça. Não sou radicalmente contra a bebida, mas que se beba com moderação. Que a bebida seja apenas uma complementação de um passeio ou encontro e não a causa. Jesus Cristo santificou o vinho. O problema não está na bebida, mas no exagero que as pessoas cometem frequentemente. Tudo que é demais, sobra. Sei que este texto é forte e atinge muitas pessoas, mas passei a minha vida tentando ser aceito por todos, escondendo o que realmente sentia, mas agora chega. Não posso me isentar da responsabilidade de esclarecer a verdade em troca de uma suposta popularidade.

Nenhum comentário: