segunda-feira, 28 de março de 2016

Com quem podemos brigar e porque

Há muitos anos atrás passava um seriado na Rede Globo chamado Magnum. Era um detetive particular que morava em uma ilha do Havaí e era valentão e meio atrapalhado. Em um desses episódios, ele falou uma cousa interessante que pratico desde então. Ele falou que só devemos brigar com quem amamos e com quem gosta de nós. Demorei para entender que o personagem toma razão. Quem nos ama nos perdoa e não vira nosso inimigo e tenta nos destruir.
O ser humano precisa do outro para se conhecer e se afirmar, dentro de em uma relação de respeito mútuo. Mas ninguém nave sabendo e a vos em sociedade nos impõe limites que descobertos de uma forma ou de outra. As relações humanas são complexas e no conflito podemos resolver e aprender mais rapidamente do que anos de diálogo conciliatório.
Não perco meu tempo com quem não tem interesse em mim e onde não há uma relação de respeito e até cumplicidade. Até mesmo meus conflitos considero sagrados pois ajudam a ambos a ser desenvolverem. Quando entro em conflito é desencadeado todo um processo de argumentação fundada na razão. Não gosto de situações em que "a razão da força substitui a força da razão".
É desnecessário, cansativo, infrutífero e até perigoso conflitos com pessoas que não nos respeitam. Numa situação dessas evito o conflito, mas se for inevitável do tem duas saídas: ou entro pra vencer ou abandono o campo de batalha antes mesmo de luta começar.
Quero o amor predominando em minhas vida e recomendo o mesmo, conflitos não estão em minha agenda a curto e médio prazo. Estou me preparando para o que há por vir,e pelo jeito está chegando mais cedo do que o esperado. Esta situação econômica que o país está vivendo é apenas o começo da grandes transformações para as quais estamos por passar. Não da partes saber em que direção estamos indo neste percurso, mas podemos dizer que é inédito. Como dizia o ex-presidente Lula: "Nunca antes na história deste país..."

Nenhum comentário: