quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Instinto x Intuição

De repente, me veio esta inspiração. Estou saindo do nível do instinto para viver cada vez mais em função de minha intuição. Mas primeiro, vou classificar cada um. Instinto são reações que temos para a sobrevivência. São ações e reações bem primitivas e animais. O instinto nos garante a manutenção da vida corpórea: comer, beber, dormir, sexo, fugir ou enfrentar os perigos, defender a si mesmo e aos do seu grupo, entre outros. São necessários e fundamentais, até atos involuntários como o funcionamento automático do coração e dos pulmões, mesmo quando estamos em repouso. Intuição é viver de acordo com nossas percepções do mundo visível e até invisível. Quem vive intuitivamente não precisa ver para crer e nem precisa deixar acidentes e desastres acontecerem para ter certeza que certas atitudes podem levar a ruina do ser humano. É viver um grau de inspiração que dispensa maiores explicações para si mesmo. Apenas age de acordo com o que sente. Não precisa viver tenso ou armado para qualquer conflito, pois se desvia dele antes mesmo dele acontecer, apenas analisando os fatos e acreditando em si mesmo. Tanto o instinto como a intuição são importantes e fundamentais para nossa vida. Mas ambos devem ser usados de forma equilibrada para o bem estar de cada um, pois todos os possuem. Não se pode viver como animal querendo satisfazer instintos básicos de sobrevivência a qualquer preço, nem por medo nem por prazer irresponsável. Assim como tem que se tomar cuidado para não confundir intuição com algum desvio mental ou se tornar arrogante a ponto de desprezar os avisos da realidade, assim como não se deve viver com a “cabeça nas nuvens”. Acredito que estou vivendo cada vez mais de forma intuitiva, onde os sentimentos tem mais importância do que satisfação carnal e busca pela segurança que pode levar a uma prisão mental onde as grades são feitas de medo do ambiente externo. Deixar de olhar tanto para si mesmo e começar a perceber as belezas desta vida é um bom começo para uma vida mais leve e até desprendida de preocupações tipo: o que comer, o que vestir ou onde dormir. Viver intuitivamente é como se estar flutuando, onde existe uma consciência que toma as decisões por você e te dá as opções já estruturadas só para você decidir qual a decisão mais te agrada. Para se viver intuitivamente, tem que ter um alto grau de desprendimento dos próprios interesses pessoais que só beneficiam a si mesmo e mais ninguém, viver de forma elevada, exercitar constantemente seu equilíbrio pessoal, não ter medo de situações desconhecidas, confiar e amar em si mesmo.

domingo, 9 de outubro de 2016

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Tenho postado vários textos, todos de minhas autoria. Alguns empolgantes para e outros nem tanto. Alguns bem coerentes nas ideias do início ao fim e outros nem tanto. Mas a maioria ninguém da sinal de que leu, curtiu ou comentou.
Sei que são textos longos e densos prazeres um ambiente descontraído feito o Facebook. Mas meu objetivo de escrevê-los são três: armazenar ideias para a posteridade; e ter disponível para algum debate sobre temas gerais. Além disso, praticar mais um talento natural, mesmo que as outras pessoas não compreendam isso.
Não tenho pessoas para debater estas ideias e depois resumir as ideias em forma de texto, talvez sejam temas chatos ou irrelevantes na vida das pessoas. Quem se importa com assuntos como amor, respeito paz, prosperidade, espiritualidade, trabalho, filosofia, psicologia, entre tantos outros assuntos relacionados ao conhecimento e crescimento humanos?
Agradeço as pessoas que lêem e curtem este trabalho e desejo que estes escritos estejam sendo úteis para elas desde já.

FILOSOFIA - parte 3

A RACIONALIDADE DO SER HUMANO - aspecto ontológico

É inegável a racionalidade do ser humano, logo ele pensa. Mas de onde vem o pensamento humano? Neste ponto divide-se a filosofia entre materialismo e espiritualismo. São estas suas duas correntes predominantes:
MATERIALISMO: esta corrente filosófica afirma que toda a racionalidade do ser humano decorre e fenômenos naturais e perfeitamente mensuráveis, de alguma forma.

ESPIRITUALISMO: ao contrário do materialismo, o espiritualismo admite a existência de uma realidade extracorpórea que supera os limites da matéria, que não está regida pelas leis do tempo e espaço e nem pelas leis da física, química ou biologia. A espiritualidade do ser humano está presente em toda sua manifestação de racionalidade.

Para o ser humano, compreender a razão de sua racionalidade é dar sentido a sua própria existência.

FILOSOFIA 2

A RACIONALIDADE DO SER HUMANO - aspecto fenomelogico
Após analisar as origens do ser humano, poderíamos afirmar que ele é um animal, e um animal fraco se comparado com os demais, no que tange seus sentidos, doentio carente dos meios naturais de defesa, sensível s doenças e intempéries, com pouca força, sem garras, lento em correr ou nadar, nu. Um pobre e insignificante animal que não leva vantagens sobre os demais, conduzido por seus poderosos instintos sexuais e de conservação, como os demais animais.
Diante se tantas fraquezas, o ser humano já deveria ter desaparecido a muito tempo como tantas espécies de animais, devido s sua fraca constituição, pouca resistência e precária condição de saúde.
O ser humano não só não desapareceu, como impôs sobre todos os demais animais, dominou-os, transformou seu habitat, e multiplicou-se de tal forma s ponto de torna-se um grave problema para si mesmo. Tudo isso graças a sua racionalidade. Todas as suas fraquezas e desvantagens são compensadas por esta característica tão singular do ser humano:
TÉCNICA: ele mesmo produz os instrumentos que facilitam seu domínio e satisfazem suas necessidades;
TRADIÇÃO: Graças a sua capacidade de passar a gerações seguintes todas as técnicas conseguidas para contínua melhorias das mesmas. Sua cultura é transmitida através da comunicação. O de humano é o único animal que fala.
PROGRESSO: a tradição e a técnica geram o progresso, onde cada geração deixa para a seguinte um legado de conhecimentos adquiridos que vão se acumulando ao longo do tempo.
PENSAMENTO: não haveria técnica, tradição e progresso sem o pensamento, um dos pontos altos de sua grandeza que o fez superar os demais animais. Através dele cria a ciência e aplica seus princípios em seu benefício.
REFLEXÃO: o ser humano tem a capacidade de olhar para si e se reconhecer, ele tem concorrência de sua consciência.
LIBERDADE: o ser humano é um animal livre para dominar seus instintos que são controlados através de sua racionalidade.

Mesmo o de humano tendo algumas características dos animais, a sua racionalidade o distingue radicalmente dos demais.

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

FILOSOFIA 1

Anos atrás li um livro de filosofia que levei mais de cinco anos para entender, pois filosofia nos ensina s pensar e refletir ir nos mesmos, coisa que a sociedade não costuma ensinar facilmente. Emprestei o livro e não me devolveram. Levei quase décadas até achar ele na internet. E resolvi fazer um resumo do que considerei relevante
1. AS ORIGENS DO SER HUMANO
O centro de toda reflexo filosófica é o ser humano e suas origens, se por criação direta de Deus ou evolução de espécies inferiores. Esse questionamento se faz importante no decorrer desta filosófica, pois esta questão é um divisor de pensamento entre o material e o espiritual. Dessa linha de raciocínio, dois se destacam radicalmente e até geram convicções apaixonadas: o CRIACIONISMO e o EVOLUCIONISMO.
O criacionismo é uma teoria que defende que o homem foi criado a imagem e semelhança de Deus, sem sofrer alteração algumas em sua estrutura ao longo do tempo. Sua fonte de informações é baseada na revelações bíblicas e alguns não permitem qualquer argumentação que afirme o contrário do que está escrito e comumente entendido.
O criacionismo coloca o homem numa atitude de fé, onde não se precisa ver para crer. Não se questiona a validade dos ensinamentos bíblicos, mas da interpretação de seus ensinamentos.
Já o evolucionismo prega que o ser humano tem sofrido evolução constante ao longo das eras a partir de organismos simples que habitam o planeta a milhões de anos até chegar ao estado atual e continua a evoluir. Este pensamento segue uma linha de raciocínio mais científica, baseado em pesquisas e observações constantes do ser humano e dos pontos em comum com outros seres. A evolução seria resultado da adaptação dos seres mais capacitados a sobreviver às mudanças do clima, relevo e outras mais. O criacionismo tende a negar a influência de forças ou energias espirituais, já que até agora não tem sido cientificamente comprovada a existência de tais energias.
Ainda se tentou criar teorias que conciliassem princípios da teoria criacionista com evolucionista, mas sem tanta visibilidade quanto as outras duas.

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Amor e desejo

Equilibrar o amor e o desejo é um grande desafio num mundo permissivo feito este. Alguém que se esforça para manter sua castidade facilmente se vê isolado ou rotulado de chato ou Dono da Verdade e a ele não é tolerada falha alguma.
O desejo é algo natural, mas não se deixar o desejo dominar seu ser e conduzir seus passos. O desejo tem que ser dominado e não simplesmente sufocado.
Enquanto você está cheio de desejo, aqueles impulsos que mais parecem vozes em sua cabeça não te deixam em paz até você o satisfaze-lo a qualquer preço. Mas se não for feito com amor e carinho, a frustração será certa assim o que você o satisfaz.
Se guardar para a pessoa certa que tenha afinidades de ideias e interesses com você e havendo amor, o prazer será duradouro.
Não se deixe levar por um impulso momentâneo que o afasta do amor verdadeiro e de sua realização plena.

domingo, 2 de outubro de 2016

Amor gratuito

Dizem que amor verdadeiro só de mãe. Não tenho dúvidas da entrega que uma mãe seja capaz de fazer preço bem de seus filhos. Sei que os valores nos dias de hoje estão bem confusos, mas minha mãe ainda é uma mãe a moda antiga. Seria natural de um filho retribuir tanta dedicação. E é o que tenho feito.
Tomando este amor como exemplo e a dedicação que tenho, me esforço para reproduzir, pelo menos em parte, esse amor por outras pessoas. Mas até agora não tem sido possível. Numa sociedade até ignorante e preconceituosa como a nossa, o amor é dividido entre amor entre sexo oposto e mesmo sexo.
Se queremos amar alguém do sexo oposto, logo surge a questão se há segundas intenções out traz de tanta dedicação. Se demonstramos carinho com alguém do mesmo sexo que nós, principalmente homem com homem, logo surge a dúvida sobre a masculinidade de algum dos dois.
Uma sociedade baseada no medo e no sexo irresponsável só poderia ter uma conclusão estupida como esta.
Toda vez que demonstrei carinho por uma mulher, o resultado não é bom: ou ela acha que estou tentando conquistá-la e se desmancha em ilusões, ou me afasta de forma grosseira. E nem tenho ser gentil e atencioso com homens, pois o resultado seria desastroso.
O amor é um grande mestre, mas tem que vivê-lo parte conhecê-lo e desfrutar de seus benefícios.

sábado, 1 de outubro de 2016

A gênesis da relação

As pessoas se interessam umas pela outras por dois motivos: ou por atração física ou por afinidade pessoal.
Por atração física seria aquela situação em que um olha para o outro e sente desejo sexual. É algo mais instintivo, animal, primitivo. Esse tipo e relação esta muito ligada a paixão ea forma de demonstrar sentimento é manifestando o ciúme.
Encontrar a pessoa certa acaba sendo uma loteria, pois encontrar pontos em comum além do desejo é uma aventura. Neste tipo de relação as pessoas tendem a idealizar demais o outro, como se pudesse mudar a natureza de alguém apenas porque desejamos alguém que é totalmente incompatível com nosso modo de vida.
O outro modo de conhecer alguém é através da afinidade pessoal de interesses em comum, deixando a questão estética e sexual em segundo plano. Neste tipo de relação, o quis mantém o casal unido são as ideias e não apenas desejos primitivos. O amor tende a de manifestar mais claramente, já que os dois não estão dominados pelo desejo ou pelo medo de estar só ou outro tipo de carência.
Aqui o desejo surge gradativamente e não é a principal razão dessas duas pessoas se encontrarem e manterem contato. Elas têm algo maior que elas mesmas que as une cada vez mais.
O ciúme não fará parte de suas vidas, pois um confiará no outro. Assim como a traição não será problema, já que este tipo de pessoa não se ilude de forma imediata e de forma incontrolável.
Saber a diferença entre estas duas formas de começar uma relação é fundamental para presumir sua continuidade e felicidade duradouras.
As pessoas deveriam se envolver apenas com quem tivesse afinidades com sua ideias. É maravilhoso poder se expressar livremente com pessoas quem entendam seu ponto de vista, mesmo que nem sempre concordem com conosco.
Aparência física é interessante, nada contra pessoas bonitas, mas a beleza é apenas um cartão de visita e o que importa são as ideias de cada um. A beleza pode impressionar nos primeiros momentos, mas o que vai sustentar algum tipo de relação são a ideias de cada um. Se a linha de pensamento for muito diferente de uma pessoa para outra, a relação pode ser seriamente comprometida.
Mas para que você encontre pessoas com ideias afins com as suas, primeiramente você tem que conhecer a si mesmo, seus interesses e suas ideias.
 

Ovelha Negra

"Baby, Baby,
não adianta chamar quando alguém está perdido
procurando se encontrar"...
Este trecho da música de Rita Lee descreve a situação de alguém que não sabe o que está fazendo na vida. De nada adianta você tentar chamar esta pessoa a razão, se ela estiver mergulhada em suas próprias verdades. Quem nunca cometeu erros na vida ou tomou decisões baseadas nas próprias ilusões de felicidade e depois se arrependeu?
Tem pessoas que têm maturidade e reconhecem os próprios erros, mas tem outras pessoas que cometem erros que prejudicam a elas mesmas e seus familiares na não reconhecem que elas tomaram decisões erradas, estado sempre a procura de um culpado ou achando que estão certas e da próxima vez dará certo o que pretendem.
Pessoas assim podem vir passar esta vida assim e nunca amadurecerem. Mas não cabe a outra pessoa a estar corrigindo os erros que está pessoa comete. Pode parecer cruel, mas esta pessoa terá que arcar com a responsabilidade de seus próprios atos e não é você quem deve impedir. Pessoas assim nem sempre aprendem com os próprios erros.

Minha história de vida

Estou começando a acreditar que nossa história de vida começa s ser escrita antes mesmos de nascermos. Não tenho muitas evidências, mas uma em particular me chama a atenção: numa relação com minha mãe. Minha mãe é uma pessoa idosa, e como todo idoso, ela sente-se só. Na idade em que ela se encontra, já perdeu vários entes queridos e referências de sua vida: marido, irmãos, amigos, professores, colegas, e na idade dela, está órfã de pai e mãe.
Tem pessoas que acham que são práticas e tudo que o idoso sente é coisa da idade e os outros não tem que se incomodar com manias de pessoas velhas. Se o idoso se queixa de dor, é só uma forma de pedir atenção pra só mesmo, por exemplo.
Pois bem, minha mãe teve três filhos e, como todos sabem, tem sempre um que é mais atencioso, e esse alguém sou eu. Não paro de imaginar como minha mãe estaria hoje se eu não tivesse nascido: provavelmente não saberia o que é viver a liberdade na terceira idade. As vezes perco a paciência, mas porque sei que preciso me amansar mais e me esforço para ser melhor a cada dia.
Em minha ausência, imagino que minha mãe definharia. Então acredito que Deus foi perfeito, como sempre, e me trouxe para este mundo para servir também a minha mãe. Não me sinto obrigado a fazer nada, me sinto até recompensado: Alguém depende de mim para seu bem estar e eu posso corresponder e colocar teorias em prática.