domingo, 2 de outubro de 2016

Amor gratuito

Dizem que amor verdadeiro só de mãe. Não tenho dúvidas da entrega que uma mãe seja capaz de fazer preço bem de seus filhos. Sei que os valores nos dias de hoje estão bem confusos, mas minha mãe ainda é uma mãe a moda antiga. Seria natural de um filho retribuir tanta dedicação. E é o que tenho feito.
Tomando este amor como exemplo e a dedicação que tenho, me esforço para reproduzir, pelo menos em parte, esse amor por outras pessoas. Mas até agora não tem sido possível. Numa sociedade até ignorante e preconceituosa como a nossa, o amor é dividido entre amor entre sexo oposto e mesmo sexo.
Se queremos amar alguém do sexo oposto, logo surge a questão se há segundas intenções out traz de tanta dedicação. Se demonstramos carinho com alguém do mesmo sexo que nós, principalmente homem com homem, logo surge a dúvida sobre a masculinidade de algum dos dois.
Uma sociedade baseada no medo e no sexo irresponsável só poderia ter uma conclusão estupida como esta.
Toda vez que demonstrei carinho por uma mulher, o resultado não é bom: ou ela acha que estou tentando conquistá-la e se desmancha em ilusões, ou me afasta de forma grosseira. E nem tenho ser gentil e atencioso com homens, pois o resultado seria desastroso.
O amor é um grande mestre, mas tem que vivê-lo parte conhecê-lo e desfrutar de seus benefícios.

Nenhum comentário: