quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Instinto x Intuição

De repente, me veio esta inspiração. Estou saindo do nível do instinto para viver cada vez mais em função de minha intuição. Mas primeiro, vou classificar cada um. Instinto são reações que temos para a sobrevivência. São ações e reações bem primitivas e animais. O instinto nos garante a manutenção da vida corpórea: comer, beber, dormir, sexo, fugir ou enfrentar os perigos, defender a si mesmo e aos do seu grupo, entre outros. São necessários e fundamentais, até atos involuntários como o funcionamento automático do coração e dos pulmões, mesmo quando estamos em repouso. Intuição é viver de acordo com nossas percepções do mundo visível e até invisível. Quem vive intuitivamente não precisa ver para crer e nem precisa deixar acidentes e desastres acontecerem para ter certeza que certas atitudes podem levar a ruina do ser humano. É viver um grau de inspiração que dispensa maiores explicações para si mesmo. Apenas age de acordo com o que sente. Não precisa viver tenso ou armado para qualquer conflito, pois se desvia dele antes mesmo dele acontecer, apenas analisando os fatos e acreditando em si mesmo. Tanto o instinto como a intuição são importantes e fundamentais para nossa vida. Mas ambos devem ser usados de forma equilibrada para o bem estar de cada um, pois todos os possuem. Não se pode viver como animal querendo satisfazer instintos básicos de sobrevivência a qualquer preço, nem por medo nem por prazer irresponsável. Assim como tem que se tomar cuidado para não confundir intuição com algum desvio mental ou se tornar arrogante a ponto de desprezar os avisos da realidade, assim como não se deve viver com a “cabeça nas nuvens”. Acredito que estou vivendo cada vez mais de forma intuitiva, onde os sentimentos tem mais importância do que satisfação carnal e busca pela segurança que pode levar a uma prisão mental onde as grades são feitas de medo do ambiente externo. Deixar de olhar tanto para si mesmo e começar a perceber as belezas desta vida é um bom começo para uma vida mais leve e até desprendida de preocupações tipo: o que comer, o que vestir ou onde dormir. Viver intuitivamente é como se estar flutuando, onde existe uma consciência que toma as decisões por você e te dá as opções já estruturadas só para você decidir qual a decisão mais te agrada. Para se viver intuitivamente, tem que ter um alto grau de desprendimento dos próprios interesses pessoais que só beneficiam a si mesmo e mais ninguém, viver de forma elevada, exercitar constantemente seu equilíbrio pessoal, não ter medo de situações desconhecidas, confiar e amar em si mesmo.

Nenhum comentário: