terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

DST

As pessoas continuam se arriscando em relações sexuais com pessoas promíscuas ou de procedência duvidosa. A longevidade que os portadores do vírus HIV tem alcançado tem dado a falsa sensação de que a AIDS foi controlada e até mesmo descoberta a cura para esta doença contagiosa. A mídia não quer desagradar aos governos que querem passar a imagem de que a saúde no país está no rumo certo, e nem que desagradar aos grupos de ativistas que querem passar a imagem de que o sexo esta liberado e tudo acaba em festa.
E como se esta doença já não fosse um problema suficiente, as outras doenças sexualmente transmissíveis - DST - ainda estão em plena atividade: sífilis, gonorreia, cancro, herpes, entre outras. Não é porque estas doenças deixaram de estar na mídia que elas deixaram de ser perigosas que, quando não matam, podem deixar sequelas irreversíveis. Um momento de prazer não vale uma vida sem prazer por causa de uma doença contagiosa.
Isso para não mencionar o risco de uma gravidez indesejada e uma futura criança traumatizada pela briga de seus dois irresponsáveis que só pensaram num momento de prazer sem avaliar os riscos e as consequências. E por onde passa material para formar uma criança, pode passar também diversos tipos de bactérias, germes, vírus e todo tipo de microrganismo.
Fala-se muito em usar camisinha para evitar estas doenças. Na penetração pode até dar alguma segurança, mas e no sexo oral, quantas pessoas tem precaução ou mesmo se recusam a fazer, mesmo que isso desagrade seu parceiro ou parceira?
Quem ama, protege. Não se deve condicionar o prazer ao risco de contágio por parte de sua pessoa amada. Não deve deixar ela sentir-se culpada se não fazer tudo o que você quer só para te dar uns momentos de prazer.
O corpo humano é um paraíso para varia tipos de microorganismos, alguns inofensivos e até necessários a manutenção de nossa saúde. E outros tipos que são verdadeiros parasitas em seu hospedeiro, reproduzindo-se o quanto consegue para garantir a sobrevivência de sua espécie, e o contágio é uma boa forma deles garantirem a colonização e conservação de suas espécies.
Sexo é confiança, além de atração física. Para que o prazer ser duradouro, o casal tem que sentir-se seguro de que não vai adquirir nenhuma moléstia infecciosa que comprometa sua saúde. O amor ainda não é capaz de curar todos os tipos de doenças nesta dimensão. É necessário continuar a se precaver sempre e sempre.

Um comentário:

Gal Moleiro disse...

Você foi muito feliz nesta colocaçao,realmente o sexo hoje é visto como nada e perdeu realmente a finalidade que foi feito entre os humanos;que não é apenas o prazer pelo prazer e sim a junçao de 2 corpos em um em harmonia,cumplicidade,respeito e amor.