terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Educaçao financeira

O assunto presente neste artigo é de conhecimento das maioria das pessoas, assim como suas regras são ignoradas por outros tantos. Trata-se da Educação Financeira.
Muitas pessoas reclamam da falta de dinheiro e do aperto em que vivem, suas contas nunca fecham e muitas vezes terminam o mês no vermelho, devendo cada vez mais. Além disso, não conseguem formar uma poupança para ter um dinheiro para momentos em que surge uma surpresa e ter que gastar uma grana extra.
Tudo isso é decorrente da falta de preparo para lidar com o dinheiro que a maior parte dos brasileiros e das pessoas em geral tem. A pessoas gostam de gastar dinheiro e sabem da importância dele na vida de cada pessoa, mesmo que digam que o amor é mais importante que o dinheiro, uma relação pode começar ou acabar por causa dele.
As pessoas não tem preparo para lidar com dinheiro, as famílias não ensinam às suas crianças na esperança de que a escola os ensine, e as escolas não ensinam por considerarem um assunto que deva ser tratado no âmbito familiar. Ou seja, é um jogando a responsabilidade para o outro. Na escola uma criança aprende sobre sexo, diversidade de gêneros e tolerância as diferenças, mas não aprende a lidar com dinheiro.
Ainda tem a questão emocional que este assunto trás: Quantas pessoas não usam o dinheiro ou cartão de crédito para realizar toda as suas vontades ou suprir uma carência não resolvida, como uma falta de um romance ou uma grande baixa autoestima? Não compram o que realmente precisam mas o que pensam que querem, influenciadas peças propagandas que prometem realização e felicidade se adquirir este ou aquele produto, tem ainda o caso de se endividar para mostrar para a família que pode ter o que deseja ou mostrar para aquela vizinha ou colega de trabalho que também está na moda. Tem pessoas que acham que mostrar riqueza e prosperidade é trocar os móveis da casa todo ano ou aparecer com roupas novas para ela e para os filhos em cada evento que participam. São pessoas totalmente despreparadas para lidar com dinheiro e tendem a gastar sempre mais do que ganham.
Mas o que deve ser feito presta não cair na armadilha de endividar-se continuamente e viver no desespero de não ter um dinheiro sobrando para as presentear de vez em quando ou estar preparado para uma eventual despreza extra que surja? Basta seguir uma regras simples mas muito eficientes:
> nunca gaste mais do que ganha mensalmente;
gt; não faça planos com dinheiro que você acredita que vai ganhar. Não comece gastando por conta do que você ainda não tem em mãos;
> não compre por impulso. Antes de comprar algo, pergunte-se se o que você tem é um desejo ou uma necessidade. Uma compulsão por comprar nunca se satisfaz, já uma necessidade é algo que realmente precisa ser suprido;
=> evite de sair de casa com cartão de crédito, feito ou com dinheiro em espécie, assim você terá que voltar para casa se quiser comprar algo e voltar depois. Este é o tempo que você precisa para analisar se realmente a compra é necessária ou seria uma compra por impulso.
> não faça do cartão de crédito ou limite do cheque parte do seu salário. Não gaste esse crédito a menos que seja extremamente necessário. Crédito quer dizer que alguém deu a possibilidade de você comprar agora para pagar depois. Crédito não é um valor que alguém doou para você;
> não empreste seu cartão de crédito para ninguém, nem se aventure em ser fiador nem mesmo para deu melhor amigo. A maior parte das pessoas que têm seus nomes negativados é porque deixaram terceiros comprar com seu cadastro. Depois, no momento de pagar, seu devedor some ou briga com você e te deixa com uma dívida monstruosa para você pagar;
> sempre tenha uma reserva de dinheiro para momentos de dificuldade, assim você não precisará tomar dinheiro emprestado em bancos, financeiras ou viver do limite do seu cartão de crédito. Os juros são extorsivos;
> saiba a diferença entre gasto e investimento. Gasto é algo que não te traz retorno ou benefícios a médio e longo prazos, são desprezas que você faz só para se satisfazer momentaneamente. Investimento é algo que te traz resultados ao longo do tempo.
Por exemplo: comprar um smartphone. Se seu dinheiro está curto você deve comprar um aparelho que tenha as funções que você realmente usa, e não comprar simplesmente porque o modelo do aparelho esta na moda. E se você já tem um smartphone, será que você precisa realmente comprar outro? Além disso, qual o benefício que este novo aparelho acrescentará em sua vida? Ele será usado para realizar um trabalho onde seus ganhos pagarão o que você gastou nele e ainda te dará lucro? Se de lucro podemos classificar como investimento; mas se for uma despesa que não paga o que você empenhou nele, então é gasto;
=> contar m faça pesquisa de preços e avalie marcas similares mais baratas se tem a mesma função e garantias que marcas de produtos famosas;
=> avalie com que frequência você vai utilizar o produto comprado e se há urgência em adquiri-lo desde já ou se pede esperar alguma promoção ou lançamento mais barato;
=> evite de comprar a crédito ou mesmo parcelamentos. Como você não vê o dinheiro saindo momo pagamento em espécie ou no débito, você se ilude acreditando que seu poder de compra aumentou, e gasta sem medir as consequências;
=> evite o que puder pagar o mínimo do cartão de crédito, pague sempre i máximo que puder. O montante que fica para pagar no mês seguinte vem embutidos de tantos juros que sua dívida pode ficar impagável ao longo do tempo. O ideal é que você sempre compre à vista para negociar descontos na compra ou só compre no cartão e já tiver o dinheiro para pagar, só por garantia, caso haja qualquer imprevisto;
=> não tome empréstimos posta fazer uma festa que não te trará retorno algum, ou uma viagem de lazer que só te trará prazer momentâneo. Muitos apresentados, pensionistas e servidores públicos entram nesta situação de adquirirem empréstimos consignados achando que o parcelamento não terá peso em seu orçamento, mas tem, e muito. Eles costumam tomar estes empréstimos não para utilizarem o dinheiro posta si mesmos, mas para ajudar um parente que, muitas das vezes, não os tratam com respeito e sinceridade, tomam o dinheiro para realizarem gastos desnecessárias para si mesmos. E quem pagará pelo empréstimo passará anos de sua vida pagando por uma dívida do qual não se beneficiou em nada.
No caso de empréstimos, o ideal é si recorrer a eles se for para fazer algum investimento que tenha retorno, assim você poderá pagar seu empréstimo antecipadamente ou desfrutar do bem adquirido, como uma casa própria. Carro não é investimento, é despesa, se for para uso particular. Um veículo só é investimento se for posta uso profissional e se for para gerar lucros. Comprar um veículo apenas posta ter o conforto de ir trabalhar sem pegar transporte público é gasto, e dos grandes.

Nenhum comentário: