domingo, 26 de fevereiro de 2017

Marketing pessoal

Este artigo trata do marketing pessoal. Mas como poderíamos defini-lo? Dentre tantas definições existentes, Marketing Pessoal é sua imagem diante dos outros. Já é consenso, entre os estudiosos do comportamento humano, de que as pessoas têm dificuldade de ver a realidade como ela realmente é, na verdade, o que vemos é apenas uma interpretação pessoal da realidade.
Para uma pessoa distraída, a realidade é aquilo que ela vê. Por exemplo,é mais fácil acreditar na competência de um profissional que se apresenta como esperamos que ele se apresente: um médico de jaleco branco, um executivo de termo e gravata, uma recepcionista de uma clínica vestida de forma discreta, e assim por diante.
Mas o marketing pessoal não se resume a forma de se vestir, e sim ao próprio comportamento como um todo. O modo de falar e as atitudes falam muito de uma pessoa, e a linguagem não-verbal. Imagine uma nutricionista obesa, um pneumologista que fuma ou uma cozinheira com a unhas sujas, ou um psicólogo com claros sinais de desequilíbrio mental, quem iria confiar nos resultados ou querer o um trabalho executado por pessoas assim?
Não basta ser bom no que faz, mas tem que parecer ser bom no que faz. Agir com seriedade e mostrar interesse em resolver a demanda da outra pessoa; estar vestido adequadamente para impressionar antes mesmo de falar; falar de modo seguro de quem domina o assunto, além de conhecê-lo de fato. Conhecer seu público antecipadamente também é importante, pra assim você poderá estar vestido e se expressar como esperam que você se apresente. Caso contrário, terá muitas resistências a vencer e seu trabalho será dificultado exponencialmente. E depois de conquistar seu público logo no início, você terá mais liberdade para exercer seu trabalho ou agir de forma mais espontânea,pois você já venceu a primeira barreira apenas com sua apresentação pessoal. Deste modo, terá melhor receptividade para se expressar livremente.
Quem não te conhece e precisa ter conhecer, irá te testar e te provocar para que você se revele, que saia do seu lugar seguro. Seu público só vai confiar em você se ele se passar uma sensação de segurança. Não adianta querer romper barreiras a força, tem que ser convincente.

Nenhum comentário: