sábado, 18 de março de 2017

Papéis sociais

Quando nos interessamos por alguém, sua aparência externa tem muita influência sobre a atração que sentimos por alguém. A beleza está nos olhos de quem a vê. E não há nada de errado em pensar em e envolver com quem preenche nossos pensamentos e nos fazem sonhar, além de despertar sentimentos e provocar uma descarga de hormônios em nosso organismo.
Claro que não basta ter uma aparecia atraente. Aparência é uma isca. O que realmente importa é o conteúdo. Uma mulher bonita, gentil, inteligente e sensível é um sonho no qual vale a pena lutar. O problema é que existe tanto homem estupido que não valoriza a mulher que ela acaba esquecendo a verdadeira magia de de mulher e de sua essência feminina. As mulheres não deveriam permitir que os homens as reduzissem a nada, e muito menos deveriam querer ser iguais a eles.
O mundo mudou. A mulher começar a trabalhar e ter independência foi algo para o qual os homens não estavam preparados, e nem elas mesmas tomam ideia das consequências. A independência feminina deu poder de decisão a mulher, ela deixou e ter que se envolver com um homem apenas por necessidade de sobrevivência ou imposição social. Outro fator fundamental é que a mulher deixou de ter que se envolver por obrigação com um homem tirano que a massacraria com o consentimento da sociedade.
Mesmo assim, com tantos pontos positivos, por que as pessoas estão tão infelizes em suas relações? Há um consenso de que as pessoas não querem mais envolvimento serio e duradouro. Hoje em dia tudo é motivo para o rompimento de uma relação. Começa de forma intensa e acaba sem cerimônia.
A família tradicional está destruída. Em nome da liberdade, a sociedade e a mídia acabaram com todas noção de decência. Ta certo de que os moralistas que eram essencialmente machistas oprimiam as mulheres. Para o homem tudo era permitido, dentro da legalidade. Mas se a mulher disse acusada de sair dos padrões impostos pela rígida sociedade do passado, ela era banida do meio social, marginalizada a ponto de ter que mendigar ou se prostituir para sobreviver.
As lutas que deveriam ser para libertar o sexo feminino de tantos milênios de opressão não foram nem conduzidos. Ao invés DE conscientizar os homens para terem respeito pelas mulheres, os contestadores apenas ensinaram as mulheres a serem promíscuas e volúveis como os piores exemplos de homens.
Não podemos dizer até os homens já nascem maus e fazem tudo isso por vontade própria. Assim como as mulheres tinham seu papel social, após homens também é cobrado determinados padrões preestabelecidos pela sociedade. Os próprios pais e colegas da mesma faixa etária ensinam que homem deve ser forte e ser "pegador", homem sensível é tido como fraco e motivo de bulling pela demais. As próprias meninas e moças jovens se impressionam com demonstração de força e segurança de homens indiferentes aos sentimentos delas. Até hoje existe preconceito: qualquer rapaz ou homem que admita publicamente que é sensível e que só fará sexo com a mulher que ama, será motivo de piada e de duvidarem de sua masculinidade. A pressão social é muito forte para quem sai dos padrões tido como "normais". Como esperar que um homem criado em um ambiente assim seja compreensivo com as mulheres? O universo feminino é algo totalmente incompreensivo à mente masculina. São informações que o homem ainda não aprendeu a processar. Na adolescência são despejados hormônios nos corpos destes quase adultos que não são mais crianças mas não tem maturidade para lidar com este turbilhão de novas emoções fortes e mal compreendidas, e muitas vezes não tem bons exemplos em casa para serem seguidos.
Se uma criança vê seria pais brigando desde dele por causa de traições, como a mente desta criança não vai entender que é normal trair e ser insensível?
Não há uma resposta fácil para esta pergunta. Qualquer um que desafie a "normalidade" da sociedade tem que ter força para resistir às pressões que sofrerá. E serão muito fortes e de todos os lados. Existem pessoas que também não concordam com esta visão libertina na vida, mas tem medo de revelar seus sentimentos e serem excluídos e vistos como anormais. O próprio corpo nos trai, pois os hormônios e os velhos hábitos nos atiçam para situações que sabemos que nos tratam problemas e infelicidade futuros, além da pessoal social para curtir a vida adoidado. Mas quem quer te uma qualidade de vida e deixar de viver sobressaltado, tem que ter personalidade e escolher seus próprios caminhos, ou alguém os escolherá por você.

Nenhum comentário: