sábado, 25 de março de 2017

Vida virtual. - conclusão

Ainda passo o dia verificando meu Facebook e whatssap na ilusão de que alguém se lembre de mim de maneira espontânea, mas isso normalmente não acontece. O máximo que recebo são aquelas mensagens de bom dia sem nenhuma referência a numa pessoa, como se tivesse meu número incluído em uma lista de conhecidos de alguém e eu recebesse essas mensagens impessoais diariamente.
Essa coisa virtual é viciante, deprimente e angustiante. Amor achamos que em algum momento iremos receber aquela mensagem que irá mudar o curso de nossa vida ou trazer aquela felicidade à qual ansiamos a tempos.
Mas esse mundo virtual é doentio e um dos seria maiores problemas é o ciúme irracional. Como alguém pode ter ciúmes de alguém que nunca viu pessoalmente ou que praticamente nem vê, não tem contato pessoal e nem frequenta os mesmos ambientes?
Cria-se muitas expectativas em torno de uma fantasia que não passa de uma ilusão criada por uma mente solitária e desesperada por carinho ou mesmo sexo.
Não se pode imaginar confraternizar com duas ou mais pessoas oriundas do bate-papo e que não se conhecem ele si. A desconfiança fica presente e sabe quem teve relações com quem ali, além do receio de ter sido motivo de comentário em sua ausência. Uma reunião com o pessoal da igreja ou mesmo de um curso qualquer tem significado totalmente diferente, outra a pessoas já tem um contrato entre si e já tiveram a oportunidade de verem o comportamento de cada um.
Não podemos nos esquecer do bom e velho networking, que é aquela rede de contatos que serve para indicar para uma oportunidade de trabalho, coisa que a "bolha social" só Facebook e o individualismo do whatssap não permitem que sejam criadas e nem fortalecidas. Já que cada um se refugia em um grupo homogêneo nas ideias e comportamentos, o que um sabe é o que o outro também sabe, o que não acrescenta nada ao grupo. E todos ficam na mesma "merda".
É difícil abandonar os velhos hábitos, mas não é impossível. Estes dias que resolvi neutralizar a força da influência dos contatos virtuais em minha vida, já percebi diferença no modo que eu vejo o mundo e o que sinto em relação às pessoas que eu já conheço, se mesmo com aquelas que não tenho muita intimidade.
A analogia que eu já comentei sobre o medo de passar por um desafio equivalente a uma cortina de fogo tem relação com isso: Eu sempre tive medo de ser visto pelas pessoas a minha volta e por pessoas conhecidas, sempre escolhi minhas ideias, mas agora sinto que se eu não me revelar o quanto antes meus entes queridos poderão sofrer sem que eu tenha feito nada para ajudar. Sair do mundo virtual e vencer esta desafios já não se trata de mim ou mesmo algo que ainda possa ser adiado. É uma questão urgente que deve ser resolvida o quanto antes. Sei que tenho a resposta, e sei que muitas pessoas precisam destas respostas que tenho mas fico adiando por receio.
Ainda há tempo de viver uma vida de felicidade e fora das trevas do bate-papo e da vida virtual. Quem quiser viver e conhecer um novo modo de perceber o mundo, estou disposto a descobrir este novo cenário assustador mas cheio de oportunidades de encontrar alegrias e felicidade.

Nenhum comentário: